Confissões de um irmão

Carta aberta de um gremista ao aniversariante Sport Club Internacional.

 

A gente vive se engalfinhando. Vive debochando, criticando, tentando descobrir pontos fracos um do outro para gritá-los aos quatro ventos. Agimos como se o ódio imperasse em nossa relação, mas confesso: no fundo é amor.

Finjo que te desdenho, mas confesso: vivo falando ou pensando em ti. Faço até campanha para que minha torcida cante menos músicas que te mencionem e foquem mais naquelas que falam só de nós mesmos. Mas, no fundo, quase sempre que meu time voa em campo penso matreiramente em ti. Um pensamento sarcástico que diz mais ou menos assim: “CHUPA!” Tu faz parte até dos meus sucessos.

Confesso que nos teus fracassos retumbantes eu perco a linha. Grito, danço sozinho em casa, xingo o vizinho pela janela. E vamos parar por aqui pra eu não ser preso. Tu me incomoda, meu irmão. Nossa competitividade pauta minha vida. Não suporto te ver gigante, imponente, vitorioso. Isso me machuca de uma forma que eu nem gostaria de confessar. Mas o dia é teu, aqui estou, o fazendo.

“Os opostos se atraem”. E é por isso que a gente se hostiliza tanto: somos iguaizinhos. Sei que tudo que estou confessando tem uma recíproca verdadeira. Tuas reações e pensamentos em relação a mim são os mesmos. Só muda o endereço. E as cores. E o número de torcedores e… Ops. Força do hábito.

E, olha que ironia: eu que sou o Imortal, confesso que quero te ver na mesma condição. Quero um Inter eterno. Que esse 105° aniversário seja apenas o começo. Apesar das nossas alfinetadas, tenho certeza que ninguém mais do que eu sofreria com a tua ausência. Não me invente de fechar as portas. Seja imortal. O Grêmio não seria o mesmo sem ti. Não teríamos tanto medo de perder sem tua corneta. Não teríamos tanta ânsia de vencer sem a meta de te igualar ou superar em algum quesito. Fique aí. Não me incomode muito, mas fique aí.

Desejo tudo de pior pra ti, meu irmão. Mas ainda assim, és meu irmão. Amo tua companhia. Amo aquele Inter que perde pro Mazembe. Amo nossas “Semanas Gre-Nal”. Amo o próprio Gre-Nal (só alguns, pra dizer a verdade). Amo muita coisa diretamente ligada a ti. Amo tua existência; choraria sem ela. O que sobra é a rivalidade: nada parecido com o ódio.

Por isso, hoje deixei esse papo de “coirmão” de lado. Nossa relação é de irmãos mesmo. Irmãos pequenos, pois seremos eternamente crianças. O futebol é muito alucinante e mágico para um adulto entender e gostar. Todos somos crianças nessa bagunça. Seremos para sempre aqueles irmãozinhos que no fundo querem o bem um do outro, mas que na prática lutam incansavelmente para superar aquele chato do quarto ao lado.

Parabéns, Inter. Siga tua senda de fracassos, meu irmão. Mas siga aí, firme, forte e – só entre nós – gigante.

 

Saudações azuis, pretas e brancas,

Lucas von.

Anúncios

  1. jorge poa

    Parabéns. Belíssimo texto, com o qual gremistas e colorados de bem com a vida concordam integralmente.

  2. Guilherme

    Dps da babaquisse sobre o racismo tu me posta este texto ridiculo. Tu nao representa em nada a torcida gremista.
    Acho que ta na hora de tu buscar outros objetivos na tua vida, pq neste ramo, conseguiu torrar teu filme em dois meses. Larga mangolão!

  3. Laura

    Sou gremista fanática e gostei do texto! Pq não? vão dizer q não é verdade? sem o Inter pra gente incomodar e tirar sarro q graça teria? eu gosto desta rivalidade.. e dou os parabéns ao co-irmão pelo seu aniversário, desejo muitos fracassos é claro.. rsrsr..

  4. Marlon

    Também sou gremista (fanático) e achei muito bom o texto. Três outros amigos gremistas também curtiram e compartilharam no fb. Abraço!

  5. Vladson Odorize

    Lucas, parabéns pelo texto. Nos dias de hoje, ser bem intencionado, ter um coração bom ,só torcer ( querer que o seu time ganhe, não matar os “inimigos”) está cada vez mais difícil. Leio há muito tempo tuas crônicas. Na maioria das vezes concordo contigo. Isto tudo que tú sentes em relação ao Inter, tb sinto para com o Grêmio. Pena a maioria não pensar como a gente. Os estádios seriam lugares, certamente ,mais agradáveis. Quantos grenais já fui com torcida dividida. Saíamos todos juntos. Afora algum bêbado enchendo o saco, tudo era Paz. Hoje não. Hoje ser legal, ter sentimentos nobres, é considerado anormal.
    Continue escrevendo, vc tem este dom. Muitos Gremistas e muitos Colorados que estão de bem com a vida lerão teus textos.
    E procurarão os lugares onde acha los. Um grande abraço. Vladson

  6. EDSON ROBERTO OAIGEN

    ESPORTE É PARA SER VIVIDO PERMANENTEMENTE. BRINCAR, DEBOCHAR, TORCER CONTRA, ENFIM, FAZ PARTE DO ESPORTE. GOSTEI DO QUE LI… VOCÊ FOI UM AUTENTICO DESPORTISTA. SOU COLORADO E TENHO ORGULHO EM MORAR NUM ESTADO E SER GAUCHO, ONDE OS DOIS MAIORES TIMES TEM ESTÁDIOS DE FUTEBOL QUE NOS ORGULHAM. ABRAÇOS, BOA SORTE, MENOS CONTRA O INTER. EDSON

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s