Atitude pra salvar o ano

Não tava a fim de escrever sobre esse patético Gre-nal de ontem. Mas aí saí rapidamente na rua hoje e vi 2 gremistas vestindo o manto. Resolvi escrever.

Muita gente vai lembrar daquele Barcelona dos últimos anos e encher o peito pra dizer: “futebol hoje em dia não exige mais força, gana, carrinho. Tem que saber jogar“. De fato, era um time que jogava fácil (ou ainda é). Messi nunca proferiu impropérios ao zagueiro adversário. Iniesta esbanja classe, jamais truculência. O técnico? Seja quem for, sustenta a imagem de um senhor alinhado e de semblante sereno. Nunca foi necessário um tiozinho de abrigo esbravejando na casamata catalã.

Mas aquele Barcelona é um ponto fora da curva. Elenco ímpar, jogadores únicos e fora de série. Estilo próprio de jogar que vem da base, entrosamento incrível, enfim, muitas peculiaridades que transformaram aquele time numa máquina. Os times “normais” precisam de um algo mais. Precisam jogar com o coração. Sujar o calção. Intimidar o menino inexperiente do adversário. Catimbar. Pressionar o árbitro. Ocupar espaços. Não admitir bolas perdidas. Em suma: precisam fazer MAIS do que apenas jogar futebol. É o diferencial de quem não tem um Messi em campo. E, diga-se: mesmo com Messi, se rolasse mais DESCONTROLE em alguns momentos, poderiam ir mais longe. Superando, por exemplo, o sanguíneo Atlético de Madrid, que é um bom time, mas se destacou sobretudo pelo coração.

Um time de futebol normal – que não sobra tecnicamente – precisa ser um pouco marginal. Precisa de rebeldia, indignação, inconformismo. Precisa agir com o coração. Claro que talento e qualidade são indispensáveis. O Dinho, aquele de 95, tinha muita qualidade. Mas nem por isso abria mão da virilidade. Isso o tornava diferenciado, acima da média. O tornou ÍDOLO.

Lembro que em 2010 critiquei a apatia do Grêmio e me referi ao TRIPÉ que estava por trás dela: Duda Kroeff, Meira, Silas. Votei no Duda, me parece ser uma boa pessoa. Porém, lhe falta descontrole. Lhe falta sangue quente nas veias. Meira, idem com fritas. Silas, nem se fala. Quando tu não tem UMA base sólida nesse tripé, a apatia fatalmente entra no gramado. A não ser que tu tenhas em campo jogadores genuinamente sanguíneos. Um D’Alessandro, por exemplo. Ou vários. Caso contrário, as partes envolvidas vão esperar motivação e iniciativa umas das outras. E aí ficam naquele “deixa que eu deixo”. E aí mais um ano acaba de forma melancólica.

Nosso tripé de hoje seria Koff, Rui Costa e Enderson. O primeiro, um mito. Pelo menos no passado: no presente tenho minhas dúvidas. Parece cansado, física e mentalmente. É hora de ver se ainda terá fôlego pra transformar esse limão numa limonada. Confio nele, mas não tenho essa certeza. Ao seu lado, o jovem e competente Rui. Um grande profissional. Porém, polido, cabelo lambido, bem vestido, medindo palavras. Longe do marginal que buscamos. Enderson? Putz. Enderson. O garoto propaganda do posto Ipiranga foi a decepção do Clássico.

Nosso técnico conseguiu tomar DOIS nós táticos do ABEL BRAGA, em 180 minutos. Enderson foi mal nos 4 tempos da decisão (pelo menos nos 3 últimos, indiscutivelmente). Escalou mal, mexeu mal, não conseguiu desatar os nós armados pelo Abelão – que é bom técnico, porém muito mais um paizão motivador do que um mestre da prancheta. E tudo isso com a mão no bolso. Assistindo apaticamente ao fiasco. Me parece um bom técnico, sabe montar um time. Deve ser querido e respeitado pelos atletas. Mas não chuta a porta nem da casinha do cachorro dele. Declarou que “não foi fiasco”. O QUE SERIA ENTÃO, PORRA!??? Não sabe sair de situações encrespadas. Quando o caldo engrossa ele sucumbe. Preocupante.

Em campo? Ah, cara… Um time competitivo, querendo sim mostrar trabalho. Não tem corpo mole ali. Mas nosso capitão é o Barcos, que joga de calça jeans e não empolga nem a mãe dele. Werley dando passe pro gol do D’Alessandro (o mesmo Werley que ano passado fez gol contra o líder do campeonato, num jogão na Arena, e não comemorou, pois tava chateadinho com a direção sei lá por quê. Aí tu já sente o espírito desse cidadão). Pará, esforçado sim, mas limitado. Perdeu gol feito no primeiro minuto de jogo: seria outra partida. E aí soma aqui, acrescenta lá… Deu no que deu. O Edinho talvez seja dos poucos do CLUBE INTEIRO com o espírito que precisamos. Não só dos que entram em campo, mas incluindo direção e comissão técnica. Aí o Enderson tira o Edinho: tomamos 3 gols em menos de 10 minutos. Depois de tomar o segundo, o time acusou o golpe. Sentiu que o título tinha escoado pelo ralo. Ficaram tontos – COISA QUE MARGINAL NÃO FICA – e tomaram mais dois na sequência.

Kleber tava jogando NADA antes de se lesionar. Eu queria ele em campo ontem. Não aceitaria esse vexame. Saimon é um menino com suas limitações e afobações, porém também estaria à flor da pele em campo. Não deixaria o Inter adentrar nossa área o tempo inteiro, como quem estivesse passeando no bosque. Até na lateral direita o Saimon me servia ontem. O Grêmio precisa desse descontrole. Time de cordeirinho não vai longe. A Libertadores é um matagal fechado e traiçoeiro. E ovelha não é pra mato.

Não quero que o Koff seja quem nunca foi e perca a elegância, tampouco que tome ritalinas para recuperar a energia da sua juventude. Também não quero que o Rui raspe o cabelo e comece a dar entrevistas fanfarronas. Muito menos que o Enderson passe a vociferar na casamata “pra inglês ver”. Quero que essa indignação seja genuína. Que os discursos internos sejam pesados. Que, em campo, assimilem o espírito. Que o Edinho não saia do time. Que os jogadores não paguem imposto pra dar carrinho. Que alguém enfie o dedo na cara de alguém – seja do adversário, seja do próprio colega. Que o Riveros comece a gritar com o Ramiro. Que o Rhodolfo assuma a liderança da zaga. Que o Barcos acorde pra vida. Que o Grêmio, com todo respeito, mande o Papa tomar no cu nessas oitavas de final. Não gostou da heresia? Foda-se, aqui é Grêmio. Esse é o espírito, doa a quem doer.

A torcida gremista tem essa rebeldia na sua essência. Ela toma 4 gols num Gre-nal vexatório e sai de casa com a camisa tricolor. Ela é petulante, irônica, marginal, orgulhosa. Ela afronta os rivais até quando está por baixo. E isso, tenho certeza, INCOMODA. Rivais se incomodam ao ver que o Imortal nunca morre. Rivais se incomodam ao ver um time esfacelado no domingo com o nariz empinado na segunda-feira. Mas tá na hora de o time acompanhar a torcida. Quero um Grêmio que incomode em campo. Um Grêmio que não se entregue. Que não tome 6 gols numa Final. Um Grêmio inconformado, indignado, ORGULHOSO. Com brios. Um Grêmio que até perca eventualmente, pois é do jogo, times melhores e/ou com dias mais felizes cruzarão nosso caminho. Mas que as derrotas nos orgulhem, nos arranquem aplausos. Esse é o caminho para as vitórias. Tenho certeza disso. Um Grêmio que incomode, um Grêmio que perca nos orgulhando. Esse é o Grêmio que pode voltar a erguer canecos.

 

Saudações azuis, pretas e brancas.

Lucas von.

Anúncios

    • Ilsomar porto da silva

      Muito bom é isso ai pessoal, bola pra frente temos a libertadores para se preocupar,eles jogarão todas as fichas tinham só gauchão.

  1. PEDRO CEZAR HARTMANN

    Muito bem falado, acrescentaria que : como gremista, me doi mais ver meu time perder varios grenais consecutivos e nao levar um titulo regional a anos, do que ser desclassificado da libertadores , tão apregoada. Esta sim, não tenho vergonha de perder ou ser desclassificado, pois não vai haver nenhum argentino, mexicano ou ate mesmo outro brasileiro a me zuar a cara no dia seguinte.

  2. Ricardo

    Nada a acrescentar. Só acho que têm uns caras que estão fazendo terra arrasada, foi vexame, foi vergonhoso, foi ridículo. Mas não, não tem que demitir Enderson, não tem que demitir Barcos, não tem que demitir ninguém. Colocando um vice que chute a porta e chegue metendo bronca nos jogadores, para que eles entrem em campo com gana de vencer e caso não der joguem com raça, com o coração.

    E o Edinho (que não é um belo jogador) TEM que ser titular desse time.
    E Werley, vai embora por favor.

    • Luciano

      boa colocação, é uma pena que a diretoria do Grêmio parece estar vivendo no mundo dos teletubis e não consegue captar o que os seus torcedores reivindicam. Na verdade o Grêmio só irá para frente quando tiver um presidente que realmente tenha a vontade de vencer, o sangue nos olhos para que tudo mude. O time hoje é o reflexo de todo um contexto de uma gestão fraca, e olha que antes do koff voltar a coisa tava bem pior… não é por nada que o Grêmio hoje é todo dividido até em sua torcida.

  3. Antonio

    Lucas: excelente tua análise. Temos q fazer campanha para tirar o Werley e Pará do time. Urgente!
    abç Antonio

  4. Rodrigo

    Concordo que nos jogos decisivos, o Grêmio peca pela apatia. Mas na minha opinião, o que acaba com o clube é a politicagem, o oportunismo de alguns torcedores/dirigentes (vimos muitos exemplos disso após o Gre-nal). Perdemos um campeonato brasileiro em 2008 por causa das rixas políticas.

    Podemos culpar o perfil da direção e dos jogadores, e novamente, concordo. Mas durantes estes 13 anos, testamos várias fórmulas, vários perfis profissionais e nada deu certo. O Grêmio só vencerá campeonatos novamente quando os comandantes do clube deixarem de lado a vaidade e ao menos, tentar conviver em paz, e acho que isso vai demorar pra acontecer.

  5. William Melo

    Bah, cara… Isso é tudo o que penso! E que meu pai pensa, e que meu irmão pensa, e que meus amigos pensam… Falta sangue (e qualidade, claro). Ontem o Abel com a vantagem estava esbravejando na beira do campo e o Enderson, tomando um laço e mascando chiclé, de braços cruzados. Esse sangue precisa começar no comando! Tá difícil.

  6. Kemmel Abib

    Fazer campanha para tirar alguém do time, a 10 dias de outra decisão… creio que não será uma atitude muito válida para nosso Grêmio… este mesmo que na Libertadores tá tinindo…
    Creio que o problema seja em GREnal mesmo. Tá rolando um bloqueio contra os vermelhos, e isto destrói a confiança do time para as outras competições. Mas trocar agora seria suicídio, pelo menos na lateral direita, onde não há reposição. E não se esqueçam do Fábio Santos, que saiu daqui para ser campeão com o curintia.

    Concordo com Lucas quanto ao Kleber. Ontem o jogo era dele.

  7. renan

    Esqueceu de falar do pênalti que o Werley fez pela sulamericana e o Renteria foi lá e nos mandou embora. Esse cara já deu o que tinha que dar. O Bressan é bem melhor que ele

  8. Jimi Pozza Silva

    Boa Lucas,eu esperava mesmo um texto assim vindo de ti,sem terra arrasada.Foi vexatório e o Enderson tem que entender que é inadmissível fazer fiasco contra o Inter.Mas o ano não acabou e tem qualidade no grupo pra buscar o TRI.É hora da torcida abraçar o time,apoiar a direção,o clube.Só assim vamos conquistar a América.

  9. Douglas

    O Werley decaiu muito. Já fritou o Grêmio em várias competições, será que só eu vejo isso? O Bressan não estava comprometendo e é prata da casa, pode render frutos, recursos. O Pará é um Deus nos acuda, ele pode estar sozinho, que só faz merda, é muito ruim tecnicamente, ruim mesmo, abaixo da mádia, porém merece meu respeito pois tem vontade, mas não basta, não merece estar no time. O Paulo Santana atacou hoje o Marcelo, achei uma babaquice. Esse rapaz já salvou o Grêmio muitas vezes, não foi bem nesse jogo como todo time, mas é um bom goleiro. Precisamos de alguém do lado do Rhodolfo, pra que mesmo contrataram aquele Geromel? nem sei o que joga ele. Outro furo está no meio campo. O Ramiro está terrível, sofrível, o Riveros é meia boca, o Luan Machucado. O Edinho é limitado, pelo menos fez o que deveriam ter feito antes, imposto respeito e dado no jogador do inter, se não teriamos levado uns 6……. Allan Ruiz é jogador de segundo tempo, um Diego Clementino melhorado, um pouco só. Jean Dereti é um médio reserva. Zé Roberto também. O Gladiador mata o jogo. O Bracos parece de pedra, não tem reação, assim como o técnico Enderson. O Wendell é bom jogador, deveria amadurecer mais, mas nem é mais do Grêmio, o quel o deu para o time alemão. O Dudu mostrou indignação e vontade, um dos únicos, porém conclui muito mal, será tão difícil acertar o gol…O Maxi Rodrigues entrou bem, mas também é jogador de segundo tempo.
    O Enderson deveria ter começado com o Éverton aberto no lugar do Allan Ruiz e o Maxi no lugar do Ramiro. Bressan no lugar do Werley, Edinho e Ramiro na frente da Zaga, num 4-2-3-1

    Resumindo…temos goleiro, um zagueito, um lateal esquerdo que não é nosso e um atacante que é emprestado.

  10. Grinder

    Blablablabla, um texto que começa falando do Barcelona, e do enganador do Iniesta não merece ser levado a sério. Uma piada, assim como todas as suas opiniões e seus textos, é por causa de gente como você que o Grêmio está essa zoeira.

    • Pablo

      Você nao é obrigado a ler aqui mano … nao gostou .. nao vi ninguem te convidando … Faz um favor … Vaza! 😉

  11. iuri

    Concordo com quase tudo. O que vc escreveu sobre Werley, perfeito. É um bosta. A primeira parte sobre saber jogar, discordo em partes. O Inter deu um baile no Grêmio que ficou na roda desde o segundo tempo na Arena. A superioridade técnica é escandalosa. Isso que estamos vendo o melhor Grêmio dos ultimos anos. Mas precisamos de um Dinho, de um Sandro Goiano, de alguem com sangue nos olhos. E não dessas baratas desnorteadas. Sobre Koff, estou mais com pé atrás do que você. Quero renovação no Grêmio. Uma renovação nos moldes e na mesma altura de grandes clubes. Chega de idéias velhas e ultrapassadas. Estádio novo? Ta na hora de mudar muita coisa no clube. O Grêmio é grande e merece uma administração a altura. Ta na hora de desenterrar o sapo e tirar a zica. Ta na hora desses jogadores começarem a jogar com sangue nos olhos. Não sei se Enderson consegue fazer isso.
    Observações: zagueiros do Grêmio rebatendo bolas nos pés dos adversários.
    erramos passes demais.
    perdemos divididas demais.
    marcamos mal.
    precisamos de um atacante que faça gols. o último foi Jonas.
    Os guris tem muito potencial, mas são assustados. Não tem personalidade.

    Finalizando, a situação ta foda. Não sei se o Grêmio precisa mais de benzimento, de um psicólogo ou de um choque.

    Treinar, treinam a semana inteira. Se não ta ajudando, então não sei mais o que dizer.

  12. Luciano

    Báh pessoal, quando começam a sentir a falta do Kléber bundiador é que a coisa tá feia mesmo.

  13. Valdo Santos

    Muito bom Lucas, é uma pena que este tipo de “suplica” não sensibilize nossos dirigentes. Caso contrário não teríamos sido humilhados da forma como fomos.
    Eu devia escrever tudo que ouvi, vi e li sobre o Imortal, juntar toda essa merda e fazer esse time de mercenários ler e passar a semana engolindo vagarosamente toda esta vergonha que nos fizeram passar.
    Abraço!

  14. Mano

    E pra completar, Lucas, os jogadores mais sanguíneos do time não são aqueles que podem decidir tecnicamente a partida: Pará, Edinho, Riveros.

  15. Guilherme

    O Grêmio precisa desse descontrole. Time de cordeirinho não vai longe. A Libertadores é um matagal fechado e traiçoeiro. E ovelha não é pra mato.

  16. Wilson Corleto

    Lucas, concordo com tudo o que falou no texto. Falta empatia por partes dos jogadores(da grande maioria pelo menos) dentro E FORA de campo. Dizer que não foi vexame, tu ta de sacanagem?! Com todo o respeito ao Enderson, mas se não fosse pela Libertadores estaria na rua no domingo mesmo.
    Ver o Werley jogar me faz sentir saudades do Bressan(nunca pensei que diria isso), pois mesmo limitado, não é apático e sabe de suas limitações, não tentaria tirar uma bola de calcanhar dentro da área. O Saimon, que também tem suas limitações, é um jogador que carrega a torcida pra dentro do campo, ou alguém esqueceu do que ele fez com o Ronaldinho Carioca no brasileirão de 2011, ou com Osmar no de 2012. Se estive-sem em campo jogadores limitados como o Saimon, mas que com brios o resultado teria sido diferente, ao menos não teria sido uma goleada como foi.
    Precisamos de um novo zagueiro, de um meia armador(coisa que não temos desde de 2011) e precisamos de um lateral direito porque o Para nunca passara de um “cara esforçado”, mas do que isso, precisamos voltar a ser o Grêmio aguerrido que muitas vezes foi chamado de “a máquina tricolor”.

    Abraço a todos.

  17. Sergio Amarildo

    Prezado Lucas, li hoje o motivo que o levou a sair do globoesporte.com. Quero dizer que concordo com a opinião que exprimistes. Acho equivocada a ideia de utilizar o termo macaco para qualificar nossos principais adversários. Inclusive isso poderá representar punições futuras contra o Grêmio devido ao uso desse termo. Mesmo que muitos considerem que o seu uso não seja com conotação racista. Sobre o Grenal. Achei interessante sua manifestação. Até porque não entendi muito bem por que o Grêmio jogou bem as partidas da Libertadores, equipes do nível do arquirrival, e jogou tão mal o Grenal. Essa tua tese, ideia, opinião é verdadeira. Falta no Tricolor alguém que expresse mais garra, gana, sangue quente, agressividade não violência, galhardia, força, determinação… O Grêmio foi um time organizado, definido, mas burocrático e apático nos Grenais. E isso é uma questão crucial, ou seja, querer ganhar, mas mais do que isso ‘suar sangue’ para o fazê-lo. Além dos limites técnicos do Werley, Pará, Maxi Rodriguês, temos o conformismo dos jogadores ao enfrentarem times com gana. E isso aconteceu contra o arquirrival e contra o Newell’s Old Boys. Não penso que temos que ter um jogador que entre em campo para dar ‘porrada’, mas jogadores que não se intimidam, que briguem, que disputem rispidamente e lealmente cada lance. E isso o Wendel de sua maneira, como um jovem, fez no final do primeiro Grenal quando teve um problema com o Gilberto. Essa maneira vibrante e guerreira de ser faz tempo que não vejo sistematicamente no Grêmio, vejo esporadicamente mas logo em seguida se apaga. É isso além de outros problemas técnicos, administrativos, políticos, o Grêmio tem que ter um espírito brigador, de raça, com muita gana por ganhar. Espero que os dirigentes do Grêmio vejam isso e tomem alguma medida para mudar. E o Enderson que dê espaço para os jogadores que agem assim como Edinho e Kleber porque do contrário sucumbirá em sua forma introvertida de ser. Saudações azul, preto e branco

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s