Barcos vai pro banco

O time do Grêmio é manco. Um time que pra ruim não serve. Porém, manco. Difícil ir longe assim.

O goleiro é bom. Confesso que não me passa total confiança: toma gols discutíveis com uma frequência acima do aceitável para um time de ponta. Por outro lado, opera milagres e salva o time em outras oportunidades. Longe de ser problema. Mais perto até de ser solução. A zaga? Ok, limitada. Mas, convenhamos, está na média nacional. Pra mim, Werley, Bressan, Geromel, Saimon e cia são tudo a mesma coisa. Mesmo nível. Que é o nível do futebol brasileiro. Olhem os outros times da Série A. Todo mundo tem seus Bressans e afins. Meio-campo: temos bons volantes e gente promissora no meio. Ninguém horrível. Ninguém absurdamente bom. Mais uma vez, média nacional. Não é nosso grande trunfo, tampouco nosso furo. Laterais? Sinceramente, não comprometem. Breno ainda tá surgindo, é cedo pra analisar. Pará é útil e cumpridor quando joga simples, mas costuma se perder quando acha que é craque. Irrita? Sim. Porém, longe de ser o problema do time.

Aí chegamos no ataque. Dudu é dos melhores do elenco. Talvez o melhor. O único que se salvou nos recentes fiascos e eliminações. Pobre Dudu. Tenta, se esforça. Mas ao seu lado, aí sim, temos o furo do time. A perna manca do time. O problema maior do Grêmio: Barcos. Tá irritante. Há tempos. Participa pouco e, quando o faz, estraga as jogadas. Erra tudo que tenta. Tenta passar quando é pra chutar, tenta chutar quando é pra passar. Nas raras vezes que participa e acerta a decisão, erra a execução. Isso pesa pro time. Um centroavante que não faz gols e estraga jogadas promissoras pesa MUITO pro time. Custa caro, em todos os sentidos.

Ah, mas é líder“. Que liderança é essa? Existem dois tipos de liderança no futebol: técnica e anímica. A primeira é aquela natural, dos craques. Ronaldo Nazário, por exemplo. Por mais que não dissesse uma palavra no vestiário, era um líder. Era respeitado, consultado por jovens, observado, admirado. A liderança anímica costuma ser exercida por jogadores mais inteligentes e articulados. Costumam ter uma empatia junto aos companheiros e torcida. Talvez carisma. Com o dom da oratória, discursam no vestiário, contagiam, tomam a frente em decisões do grupo, etc. Nosso líder não acerta uma jogada e fala pra dentro. Sem falar nas declarações desastradas nos microfones. De onde vem essa liderança? Será que ela é realmente tão absorvida pelos companheiros ou é mais de fora pra dentro? Será que o grupo ia se importar tanto em ver esse líder no banco? Ou será que o Dudu, por exemplo, não se importa mais em correr sozinho? Em tabelar com um poste. Em tocar a bola pra alguém estragar a jogada e depois correr pra receber e ficar na saudade. O que será que ele prefere?

Ah, mas ele não recebe salário há 4 meses“. Não interessa. Sei que há um atraso considerável no tal Direito de Imagem (não é salário mas corresponde a boa parte da receita dos jogadores). Isso é regra no Brasil. Raros são os clubes que nunca atrasam esse pagamento, se é que existe algum. Isso é desculpinha furada. Se tivessem ganhando não tocariam no assunto. Muitos clubes ganham com esses atrasos. E outra, o clube atrasou porque passa por sérias dificuldades financeiras, não é por sacanagem. Koff não deve estar conseguindo dormir por conta dos quebra-cabeças administrativos que assombram sua mente. Só a OAS já deve lhe tirar belas horas de sono. E tem todo um clube pra gerir ainda. Não tá fácil. O jogador tem que entender e abraçar a causa. Ajudar o clube. “Pegar junto”. Se vai ficar fazendo corpo-mole porque tem atraso, não me serve. Nesse caso, direção e comissão técnica são estúpidas em deixar um atleta com esse pensamento entrar em campo. Põe na geladeira e deixa qualquer guri da base em seu lugar. Nada pode ser mais óbvio que isso. Mas esse papo é balela. Não vejo corpo-mole. Ele não é má pessoa. Vejo deficiência técnica mesmo.

Tá, mas vai botar quem?” Qualquer um. Põe um meia (Maxi?) e deixa o Dudu sozinho lá na frente. Põe mais um zagueiro. Põe o massagista. Mas põe alguém que me irrite menos. Sei que não dá pra dispensar o Barcos, tem contrato, é patrimônio do clube, etc. Então põe o Lucas Coelho no seu lugar: se render menos que o Barcos – quase impossível – dispensa o guri. E manda estudar pro ENEM. Como diria o Tiririca, “pior que tá não fica”.

Acontece que vejo em Barcos e ENDERSON nossos dois maiores problemas. E o segundo dificilmente vai tirar o primeiro. Não tem “ESTOFO”, pra não dizer CULHÃO. Ops, já disse. Acho que nosso treinador não manda nem no seu próprio cachorro. Parece que tô vendo ele tentando expulsar o cusco pra rua e o bichano, com ar de desprezo, levantando a patinha pra mijar em sua perna. Enderson sabe montar um time, não é um treinador horrível. Mas aperta quando o caldo engrossa. Mata-mata, Gre-nal. Ano passado era só ganhar em casa pro Goiás ir pra Libertadores, última rodada… Tomou 4. Deve ter achado normal. Hoje montou um time pra empatar. Ambição zero. Deve ter achado normal perder por pouco no Morumbi. E ele não está errado. É muito normal mesmo. Os times que ele monta estão fadados a serem eternamente normais. No MÁXIMO, normais. A torcida gremista cansou de ser normal. Ela quer mais.

Todos os caminhos levam o Barcos ao banco de reservas. Pra torcida se acalmar. Pra dar chance a algum jovem. Pra mexer nos brios do time. Pra gerar um fato novo. Pra finalmente jogarmos com 11. Mas esse caminho não é florido e convidativo. Não é tão fácil tirar um figurão do time. Barcos tem seu peso junto ao vestiário – ainda que eu ache bizarro. O salário dele não é condizente com o banco. Já foi de Seleção, já fez sucesso em outros times. Isso pesa. Mas o Grêmio não pode mais pagar esse preço do passado. No presente a história é outra. Não podemos comprometer nosso futuro. A tendência é que o Enderson não desbrave esse caminho redentor. Provavelmente ficará parado onde é mais cômodo e seguro. É o mais NORMAL a ser feito. Cabe a nós iniciar essa revolução. Tenho certeza que, se levarmos essa questão adiante, Barcos vai pro banco. Com Enderson ou sem Enderson. Será bom para todos, até mesmo pra ele.

Vamos mostrar ao clube que, ao contrário do que o Pirata pensa e disse, a torcida tem força sim. E essa torcida quer vê-lo no banco! #ForaBarcos

 

Saudações azuis, pretas e brancas.

Lucas von.

Anúncios

  1. Charles

    E irá melhorar muito com o Coelho ou Kleber de titular, né? Elogiar o Dudu? O considero pior que o Barcos. Só corre, cisca, nada produz, não passa a bola, não tem bom chute… quantos gols ele fez no BR? O Barcos ao menos deu os 3 pontos do jogo contra a Chapecoense.
    E o jogo de hoje o time foi bem. Os culpados pela derrota, antes do Barcos, chamam-se Marcelo Grohe e Juiz! O primeiro operou um frango inaceitável. O segundo não marcou um penalti claro, onde o chute do BARCOS tinha endereço certo e a mão do sãopaulino impediu. Por fim, no fim da partida, o Barcos perde um gol imperdível.
    Acho que eu, torcedor, enquanto torcedor, tenho que me limitar a torcer. Meter o pau em jogador não ajuda em nada, pois a verdade é que todos desse elenco atual merecem fortes críticas. É um elenco que não tem um titular absoluto; talvez o Rhodolfo. Então, levando isso em consideração, deveria-se meter o pau em todos… mas como pega mal, sempre há os escolhidos por parte daqueles que considero pseudo-torcedores.
    Lucas, sempre gostei de seus textos e opiniões; não desta vez.

    Saudações.

  2. Cleysin Whosoever

    Falo isso há muito tempo, desde a saída do Luxa, que ao meu ver, tem uma parcela de culpa do Barcos. Mudam formações, treinadores, jogadores e ele nada, falam que a bola não chega, mas quando chega, seria melhor que não chegasse. Não sabe dominar uma bola, não chuta, não é líder, nem parceiro dos companheiros de time (só lembrar do Dudu pedindo pra bater aquela falta dentro da pequena área na Libertadores) e mais, lembro-me muito bem no começo do ano, em entrevista, Pará falava sobre o sotaque de Alan Ruiz e que Barcos estava ajudando-o, mas o lateral admitiu que até o próprio Barcos, eles não conseguiam entender, então como podemos ter um capitão que não consegue se expressar perfeitamente com os seus companheiros? Barcos na minha opinião é uma figura qualquer que foi idolatrada como um deus em outro clube, mas que no Grêmio, não passa de um jogador fraco que vive a sombra do passado. Quem me acompanhava na Antes Morto que Vermelho – Fênix, sabe que estou falando exatamente o que falo desde da saída do Luxemburgo e como costumo falar, com ele em campo jogamos com 10 e nunca vamos ganhar nada. #whosoever #FORABARCOS.

  3. Wilson Corleto

    Concordo contigo Lucas. Ver o Barcos errar a quantidade de gols que ele erra me da arrepios, e pior, ver ele com a braçadeira de capitão, a mesma usada por lendas como De Leon, Adilson entre outros me faz sentir vergonha. O Grêmio tem o dom de contratar argentinos apáticos, mas no caso do Barcos(e também Alam Ruiz) se superou. Também acho o Enderson um técnico de time médio, não é um péssimo técnico, foi uma aposta, não deu certo, é hora de mudar. Concordo com o que o Lipe falou a alguns semanas no Grenalizando, o Dunga seria um cara que consertaria esses vestiário. Chega de Barcos, chega de Enderson e chega de Para também.
    Ta na hora do Grêmio acordar, antes que seja tarde. Já não almejo títulos esse ano, e vaga pra Libertadores com esse elenco não sei se é viável, mas uma coisa é certa, precisamos terminar o ano com o mínimo de dignidade, chega de Grêmio “acadelado”.
    Um abraço a galera do Grenalizando.

  4. Maurício

    Impressionante, Lucas, tu não perdes uma chance de diminuir o Grohe. Enquanto os colorados elogiam nosso arqueiro tu só sabes menosprezar. No mais, parabéns pela visão e coragem de falar sobre os principais problemas do Grêmio (técnico cagão e centroavante ridículo).

  5. Felix

    Endeusaram um atacante bom. Apenas isso, nada mais que isso. Barcos tá errando muito, mas ainda acho o melhor atacante que temos no elenco. A merda tá tão grande que voltamos ao pensamento mágico que quem não tá jogando é sempre melhor.
    Kléber foi aplaudido em treino e é a solução no momento. Trés meses atrás era o câncer do time.
    O problema tá bem longe de ser só o Barcos. Só não vê quem não quer!

  6. Jimi

    Concordo em gênero número e grau quanto ao Barcos.Agora,até quando tu elogia o Grohe tu dá um jeito de diminuí-lo.No mais,talvez a parada da copa seja a hora de dar uma chance ao Roger no comando do time assim por um lado mantém-se a filosofia “pés no chão´´ com um técnico promissor e ao mesmo tempo dá uma revitalizada nos caras com um prata da casa que sabe o que a torcida espera.

  7. Jimi Pozza Silva

    Acho estranho não terem colocado ninguém ainda pra te substituir no blog do globoesporte.Não devem faltar gremistas que sabem escrever e gostariam de dar voz á torcida nesse espaço.O que tá acontecendo?Tu não quer passar teu posto pra alguém ou eles que não se mexem?Saudações tricolores!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s